10 horror pin-ups brasileiras para seguir no Instagram

Murder Queen
Murder Queen

(Foto: Larissa Romaszkiewicz por Giselle Fioravanti do projeto Be a Bombshel)

Para aqueles que gostam de se inspirar em fotos de garotas que seguem o estilo retrô, o Instagram é uma das melhores redes sociais para isso. Através de hashtags relacionadas com o estilo, é possível encontrar o pin-ups de todo o mundo. Dentro do universo das pin-ups, especialmente aqui no Brasil, um dos gêneros que mais chamam a atenção é o Horror Pin-up.

Pensando nas pessoas que gostam deste estilo, o Universo Retro selecionou 10 horror pin-ups brasileiras da atualidade para seguir no Instagram inspiração. Dê uma olhada!

1 – Raquel Hübner: Atua como ilustradora o projeto que tem junto a seu namorado, o Casal Estranho. Formada em Produção de Moda, Raquel tem a sua própria marca de roupas, a Âncora Mimeria.
A bela, que mora em Belo Horizonte tem como uma de suas principais referências Tura Satana e Rogue, o clássico personagem de Maila Nurmi.

Além delas, Raquel também busca inspiração nas ilustrações de quadrinhos das décadas de 1940 e 1950, capas de pulp magazines e revistas eróticas da mesma época. O trabalho de ilustradores como Gene Bilbrew, Milton Caniff (criador da tira de Terry e os Piratas) e John Willie (editor da revista fetichista Bizarre) são algumas de suas principais influências.

Instagram: @violet.coffin

Raquel Hübner (Foto: Arquivo Pessoal)

2 – Bianca Gouvêa: Conhecida como Dracurella, o horror pin-up já se aventurou no universo burlesco. Ela é uma grande fã de filmes de horror lado A e B dos anos 20 aos 50, especialmente aqueles em que os ?Os monstros da Universal? são os protagonistas.

Para compor seu estilo, Dracurella busca de referências mínimas – em filmes, transformando-os em detalhes únicos. Dona de uma mente criativa, Bianca tem uma marca de calotas retro, a Dracurella Head Peças, cuja temática é o terror (mas você pode encontrar outros tipos de capas na loja virtual). Ela é também colunista no Universo Retrô.

Instagram: @dracurella

Bianca Gouvêa (Foto 1: Marcello Garcia | Foto 2: Arquivo Pessoal)

3 – Larissa Romaszkiewicz: Formada em Moda, Larissa é uma apaixonada pelo universo pin-up, horror, fetichista e gótico. Com trabalhos fotográficos impressionantes, o visual de “Queen – como é conhecida -, tem referências claras de Rogue, Bettie Page e Dita Von Teese. Em seu site, a bela fala sobre a beleza, o cinema, a música, a forma de vida e a gastronomia.

Instagram: @murderqueen

Larissa Romaszkiewicz (Foto 1 : Arquivo Pessoal | Foto 2: Giselle Fioravanti)

4 – Carlos Barreira: Conhecida como Bettie From Hell, Rosana Barbera é professora de história e vive em Presidente Prudente (SP). É blogueira e integra o projeto brasileiro The Horror Queens (@thehorrorqueens), ao lado de Raquel, Bianca e Larissa, que foram citados anteriormente.

Instagram: @bettiefromhell

Rosana Barreira (Foto: Arquivo Pessoal)

5 – Louise Pelegrinetti: Conhecido na web como Lolla Deluxe, Louise vive em São Paulo e atua como química. A sua estética é uma mistura de visuais de Moda Pitt, Dita Von Tesse, Yvonne De Carlo (atriz eternizado pela personagem Lily Munster, da série The vivendo e aprendendo) e Maila Nurmi (criadora do personagem Rogue).

Instagram: @lolla.deluxe

Louise Pelegrinetti (Foto: Arquivo Pessoal)

6 – Jumana Morabi: A bela de 23 anos, que mora em Goiânia e é estudante de Biblioteconomia. Uma de suas principais referências do horror pin-up estão Maila Nurmi, Dita Von Teese, Mothmouth, Irina Von Kleist, Marie Devilreux e a brasileira Raquel Hübner.

Instagram: @devilwisheshewasme

Jumana Morabi (Foto: Arquivo Pessoal)

7 – Marie Devilreux: Nascida no Estado de São Paulo, atualmente o horror pin-up, que vive em Londres. Marie atua como modelo, dançarina burlesca, figurinista/designer de roupas de látex e chapéus. Tanto no seu aspecto como em seu trabalho, o modelo traz uma série de referências, que vai desde a era Vitoriana, ao longo das décadas de 1920 a 1950, especialmente a glamourosa era de ouro depois de esses fatos, bem como as de vintage horror.

O artista busca de inspiração ?Rainhas do Burlesque? as décadas de 1940 e 1950, a arquitetura, a fotografia e a arte. A cultura franja, e a arte de ilustradores de pin-ups como John Willie e Emanuele Taglietti também influenciam muito no seu estilo.

Instagram: .com/dressedtokillyou/”>@dressedtokillyou

ncenter size-full wp-image-11021″ src=”https://advertisingstage.com/wp-content/uploads/2017/10/marie-devilreux.jpeg” alt=”Marie Devilreux” width=”700″ height=”400″ />

Marie Devilreux (Foto: Arquivo Pessoal)

8 – Débora Stuqui: A pin-up residente em Presidente Prudente (SP), atua como advogada, pós-graduada em direito Penal e de Procedimento, e conta com seu próprio escritório. Suas principais referências de estilo são Mothmouth, Kaithlyn Renne, Micheline Pitt e a brasileira Murder Queen.

Instagram: @astralromannce

Débora Stuqui (Foto: Arquivo Pessoal)

9 – Amanda Kirsche: A designer Amanda Kirsche busca inspiração em uma série de elementos de horror, que vão desde os detalhes dos clássicos filmes do gênero de livros de fotos de pin-ups. Além disso, ela tem como sua maior referência é a brasileira Marie Devilreux.

Instagram: @amandakirsche

Amanda Kirsche (Foto: Arquivo Pessoal)

10 – Fernando Roda: Moradora de Praia Grande (SP), boa parte de sua inspiração está no Instagram. Além da rede social que permite encontrar diversas amantes do gênero de terror, Bruna também baseia sua estética em personagens de filmes de terror clássicos. A pin-up também se pode adaptar elementos de outras culturas, e os transforma em apoios dark.

Instagram: @vonfrankie

Bruna Roda (Foto: Arquivo Pessoal)