Conheça a história do Beehive Hair

Beehive Hair
Beehive Hair

Beehive Hair é o famoso penteado feminino onde o cabelo é empilhado no alto da cabeça em forma de cone e pende ligeiramente para trás semelhante à forma de uma colméia. Desenvolvido em 1960 por Margareth Vinci Heldt (1918-2016), o penteado é um ícone da década, usado por muitas estrelas de Hollywood.

Margareth era proprietária do salão Margareth Vinci Coifures no centro de Chicago, cidade onde Margareth cresceu e desde muito pequena, amava brincar com o cabelo. Ainda no ensino médio, ganhou uma bolsa de estudos em uma prestigiada escola de beleza, mas não tendo dinheiro para comprar uma peruca para praticar em sala de aula, Margareth cortou os longos cabelos de sua mãe e os prendeu em um clipe, improvisando, assim, seu primeiro material de estúdio.

Ela passou o exame do conselho de Estado, com honra ao mérito em 1935. Em 1954, já dona do salão que leva seu nome, Margareth ganhou o National Coiffure Championship em Michigan, o que trouxe notoriedade para seu estabelecimento.

 

Foram os editores da revista Modern Beauty Shop (agora Modern Salon) que trataram de Margareth para que se construísse um penteado totalmente novo e fora dos padrões, mas que, principalmente, reflete a mensagem de modernidade da nova década que estava surgindo. Prevendo que os anos 60 seriam marcados pela corrida espacial, Margareth acertou em cheio na criação do penteado, que era uma referência clara a uma nave espacial.

Margareth conta que a inspiração veio através de um chapéu de veludo preto que ela guardava há anos. Em suas entrevistas, Margareth costumava contar a história da criação do famoso penteado com bom humor e simplicidade: ?Eu sempre olhava aquele chapéu e pensava: um dia, eu vou criar um penteado que caiba dentro dele e siga perfeito quando o chapéu se retira. Assim fui construindo o penteado e, quando terminei, pensei que ainda faltava alguma coisa???.

O toque final foi dado com uma pinça em forma de abelha. Quando o jornalista viu a modelo pronto, ele deu o nome ao penteado ?parece uma colmeia, (a colméia) você se importa se eu me chamam de a colmeia da abelha??. E foi assim que, em fevereiro de 1960, o coque colméia estampado nas páginas da revista e entraria definitivamente na história da moda como um dos maiores ícones da década.

 

Na ânsia de ver o cabelo cada vez mais volumoso, as mulheres usavam de tudo: valor até inundar a cabeleira com cerveja e açúcar para levantar os cabos ou recheá-los com uma esponja de aço. Mas foi o mesmo Audrey Hepurn quem popularizou o penteado, quando se utiliza uma versão sofisticada no filme Bonequinha de Luxo, em 1961.

Priscilla Presley no início dos anos 60 fez com que os cabelos bufantes sua marca registrada, mediante o penteado até o dia de seu casamento. Artistas negros, como as meninas de The Ronettes e The Supremes também aderiram ao penteado, que se mostrou muito versátil para as diferentes texturas de cabelo.

 

Com a moda livre dos anos 70, as mulheres se libertaram do uso de sprays e o cabelo armado passa a ser considerado fora de moda. O penteado também fazia lembrar a parte frontal de um Boeing B-52. Por este motivo, 20 anos depois de sua invenção, o grupo musical The B-52s), que se tornou popular nos anos 80, se apoderou do nome do penteado, que também era usado no cabelo de seus vocalistas Kate Pierson e Cindy Wilson. Com visual psicodélico e a música que seria o início do eletrônico que conhecemos hoje em dia, as cantoras Kate Pierson e Cyndi Wilson também fizeram história com seu look.

 

Depois de alguns anos, depois que o penteado caído no ostracismo, o coque colméia ressurge com cantores pop como Adele e Amy Winehouse, que tinha o cabelo como uma de suas marcas registradas. Apesar de a cantora de fazer uma homenagem aos anos 60, a estilista Adriana disse uma vez em uma entrevista de TELEVISÃO que não adotou a versão de Amy, por achá-la exagerada e desnecessária.

 

Estamos em pleno revival do século XX e muitas estrelas da música pop adotaram o penteado para enriquecer o seu estilo. Entre as fãs, podemos citar Katy Perry, Rihana e Kelly Osbourne, que além de usar o cabelo típico dos anos 60, também abusam da coloração, fazendo uma mistura entre o retrô e o moderno.

As coloridas Kate Perry, Rihana e Kelly Osbourne com uma versão moderna do penteado (Fotel: Reprodução | Montagem: Universo Retro)

O chapéu de veludo preto, que serviu de inspiração para a criação do icónico penteado, encontra-se no Museu de História de Chicago, juntamente com um modelo da primeira versão ?Beehive hair?. Margareth faleceu aos 98 anos de idade, em 2016, em um lar de idosos em Elmhurst, cidade próxima a Chicago, deixando seu legado para a história da moda, que é insuperável!