Kanagawa mergulha fundo no indie psicodélico no EP “Haunted Lovers”

Como em uma grande onda, a sonoridade do Kanagawa surge climática e quebra em explosões sonoras intensas. A primeira amostra do projeto se encontra no EP “Haunted Lovers”, que chega às plataformas de streaming de música pelo selo Sagitta Records. O trabalho posiciona a banda na cena do indie rock e psicodelia nacional.

Ouça “Haunted Lovers”: http://bit.ly/KanagawaEP

Criado pelo carioca Igor Pinto, o Kanagawa surgiu quando uma outra banda do músico estava chegando ao fim. Frustrado com os rumos que o seu projeto anterior estava tomando, ele começou a tentar compor de um modo novo para experimentar vozes diferentes – seja em língua ou temática – e tentar suprimir aquela sensação. Com o fim da banda, Igor focou em estudar e aprender mais sobre processos de composição e gravação enquanto suas faixas ficavam cada vez mais introspectivas.

O resultado é o EP “Haunted Lovers”. A primeira música, “The Great Wave”, apresentou o Kanagawa com um arranjo que remete tanto à calmaria do mar quanto à força e potência das ondas. Isso está bem representado no clipe da canção, em que artista e água se confundem sob múltiplas camadas.

“‘The Great Wave’ é uma música muito importante pra mim, foi a primeira que eu compus nessa nova fase e acho que é a música que melhor descreve as situações abordadas nesse trabalho. Quando terminei de escrever todos os arranjos e todas as letras dessas músicas, senti que era necessário nomear esse projeto de alguma forma, e por todas elas terem sido compostas dentro do meu quarto, percebi que esse ambiente fazia parte do cenário que eu estava tentando pintar com aquelas canções. Decidi batizar com o nome de algo que eu achava muito marcante nesse ambiente, no caso era uma enorme imagem que sempre me acompanhou”, conta Igor.

A imagem é uma reprodução que ele tem na parede do seu quarto da famosa arte japonesa de Hokusai e seu desenho de uma grande onda. Já “Pinball Head”, a faixa seguinte, leva o ouvinte à parte mais solar do trabalho, traduzindo o apelo dançante do Kanagawa – a leveza da gravação se deu pela presença de amigos no coro: Renan Rocha e Rodrigo Soares, da Two Places At Once; e Victor Hugo Yoshida e João Gabriel Soares.

“Dance Little Monkey” sai da zona de conforto e entrega não apenas uma canção “quebrada”, em um compasso diferente, como apresenta uma letra inspirada por experiências de terceiros, e não pela vida pessoal do cantor e compositor. Por fim, “Nightmares and Daydreams” traz o verso que dá nome ao EP: “the haunted lovers stand”.

“Essa frase sintetiza muito bem o que foi tentado passar nas letras do EP inteiro, que apesar de todas as situações que todo mundo já passou, passa, ou vai passar, a vida inevitavelmente continua”, finaliza Igor, que assina todas as composições e arranjos. Nessa faixa, ele é acompanhado pelos metais de Rinaldo Santos, integrante da Hiperbrass.

O EP “Haunted Lovers” conta com a produção de Leo DaCosta. Com a ideia de levar as canções do seu quarto para o mundo, ao mesmo tempo que cria um ambiente de segurança e conforto para o ouvinte, o projeto Kanagawa está disponível em todas as plataformas de música digital.

Ouça “Haunted Lovers”: http://bit.ly/KanagawaEP

Kanagawa – Haunted Lovers (EP)

Tracklist
1 – The Great Wave

2 – Pinball Head

3 – Dance Little Monkey

4 – Nightmares and Daydreams

Faixa-a-faixa, por Igor Pinto

The Great Wave

‘The Great Wave’ foi a primeira faixa a ser composta para esse projeto, e é inevitavelmente a faixa que abre o EP. Ela se alinha com o nome do projeto, foi a que abriu caminho para todas as outras, foi o ponto de partida. Existiam muitas coisas que precisavam ser ditas naquela época e essa música foi o canal pra elas serem ditas daquela forma.

Pinball Head

‘Pinball Head’ é de longe a faixa mais “agitada” do disco. Foi uma música fácil e muito divertida de ser gravada, foi um momento muito leve, principalmente pelo fato de contar com um grande coro composto por melhores amigos.

Dance Little Monkey

‘Dance Little Monkey’ foi uma música que veio de uma forma muito “peculiar”, em um compasso na época não estava acostumado a tocar. Ela é uma música “quebrada”, e possui uma letra que, diferentemente do EP como um todo, não é de experiências pessoais. Ela foi concebida a partir de um ponto de vista de coisas que aconteceram com outras pessoas.

Nightmares and Daydreams

É a faixa que dá nome ao EP e une tudo que foi falado nas músicas anteriores. Foi uma música diferente pra ser composta e gravada, existia um grande cuidado com ela, para que os elementos presentes dela não sobressaíssem, mas que fossem somando até que no final se tornassem uma coisa só. Ela passa ao fim que, mesmo existindo alguns momentos onde há sensações de “falta”, os amantes assombrados ainda continuam.

Nathália Pandeló Corrêa

Build Up Media

+55 24 2233-3624

http://www.buildupmedia.com.br

Deixe uma resposta