Vespas Mandarinas lança single novo sob elogios de Herbert Vianna (Paralamas do Sucesso)

Grupo liderado por Thadeu Meneghini divulga versão para Mariposa Tecknicolor, de Fito Paez, nesta quinta (28)

Nesta quinta-feira (28), a banda Vespas Mandarinas lança sua versão para a música  Mariposa Tecknicolor, do argentino Fito Paez. A faixa foi produzida por Lucas Silveira (Fresno), que participou da reinterpretação da letra ao lado de Thadeu Meneghini e Adalberto Rabelo Filho. Já disponível via Youtube (http://bit.ly/VespasMariposaTek), a canção foi recentemente elogiada por Hebert Vianna (Paralamas do Sucesso). 

O músico que é ídolo e referência das Vespas Mandarinas, enalteceu o novo trabalho. “‘É sempre bom saber de artistas brasileiros que valorizam o rock latino. É uma alegria ouvir esta canção de Fito Paez pelos Vespas Mandarinas. Adoro a música e adorei a versão. É um gênero vigoroso e multifacetado, apesar de desconhecido por aqui”.

O contato de Thadeu Meneghini com o  material de Fito Paez ocorreu durante as sessões de gravação do single Amor Em Tempos de Cólera, lançado no início de 2019.  No período, Lucas Silveira lhe mostrou a canção do argentino. 

O produtor e vocalista da Fresno ressalta que a versão das Vespas para esta faixa se faz essencial em meio à atual conjuntura política e social do Brasil. “Essa canção é linda. O povo precisa do punk, e do punk que edifica. Essa música merecia uma versão em português que fosse à sua altura, sendo verborrágica, anárquica e libertadora. Por isso, convenci o Thadeu à regrava-la”, frisou Lucas.

Não é a primeira vez que o grupo liderado por Thadeu Meneghini se aventura no âmbito latino. Em 2014, as Vespas se consagraram regravando os uruguaios do El Cuarteto de Nos em Não Sei O Que Fazer Comigo (Ya no sé qué hacer conmigo) para o álbum Animal Nacional. Posteriormente, em 2017, saíram do vespeiro no disco Daqui Pro Futuro com a música De Olhos Bem Fechados –  uma versão para Desperté, dos mexicanos do Café Tacvba.

Thadeu ressalta que a letra foi “calcada na versão original”. No entanto, partiu da premissa de que uma Mariposa Tecknicolor  é uma mariposa que se transforma em borboleta, assim deixando de ser monocromática. 

“É como se fosse uma metamorfose ainda mais bombástica do que a da lagarta em mariposa. É aí que entra a ironia e a metalinguagem, onde a música e a história se encontram celebrando a mais nova alomorfia das Vespas, agora na sua quarta formação. Queremos fazer uma música cada vez melhor, atingindo cada vez mais pessoas, inclusive em outros continentes e alçando vôo como ‘Vespas’ e ‘Mariposas’, frisou. 

Deixe uma resposta